sexta-feira, outubro 07, 2005

Panfleto ou Jornal?


A Voz de Silves é um panfleto partidário ou um jornal?
Poderia ser uma qualquer pergunta feita nesses concursos televisivos que por aí andam. A resposta correcta, na minha opinião, seria a primeira hipótese. Passo a explicar.
1º - O director desta publicação é concomitantemente Chefe de Gabinete de Imprensa da Câmara Municipal de Silves (por interposta pessoa, na prática, todos o sabemos). Ali regularmente publica, seja em seu nome próprio, seja na qualidade atrás referida, numa promiscuidade baralhante;
2º - Qualquer situação que do ponto de vista crítico incomode a C.M.S. tem imediata resposta crítica na Voz de Silves, não em um qualquer comunicado com origem municipal (embora o autor seja o mesmo, sempre se salvavam aparências);
3º - Finalmente, e só para abreviar, faça-se a análise do último número, saído a 5 de Outubro, sobretudo a nível do conteúdo redactorial:
-Primeira página - Grande destaque para as sondagens(?) realizadas pelo jornal Barlavento que davam a vitória a Isabel Soares e à CDU um valor rídiculo de 5%. Apesar de o autor colocar em dúvida estes valores ao longo do artigo, a manchete ali está. É o que a maioria irá ver e ler! Outros destaques na primeira página: "São Bartolomeu de Messines a sede de concelho? Pois então!" e "Matadouro de Silves merecia outra preservação", e a colocação do Padre Carlos Aquino em Silves. Sobre esta última, nada a dizer. É realmente notícia. Agora a do matadouro, onde se dizem tantos disparates, revelando-se tanto desconhecimento do que realmente se passa e passou, é confrangedor ter honras de destaque. Mas o que realmente me intrigou foi o trabalho sobre Messines. Algo datado (2003), é agora repescado e ganha honras de destaque na primeira e numa das páginas centrais. Li-o atentamente. Muitos encómios a Messines e ao seu povo trabalhador, hospitaleiro e por aí adiante de adjectivos bonitos. Na parte final um utópico apelo que já há algum tempo não ouvíamos (nem nos programas eleitorais de nenhum dos candidatos à junta de Freguesia), considerando os tempos que correm e a situação real da vila (desprezada e abandonada por esta gestão PSD na câmara e na freguesia): «São Bartolomeu de Messines merece ser sede de um novo concelho!» .
Para quem saiba ler nas entrelinhas isto só pode ter um sentido. Branquear os erros da gestão municipal nesta importante vila (o último teve como palco a própria igreja matriz) e conquistar os votos, determinantes, desta freguesia. Pois não é que o autor até confessa: "(...) Costuma até ser voz corrente em qualquer período eleitoral que o partido político, cujos candidatos ganhem a freguesia de São Bartolomeu de Messines, tem as eleições autárquicas praticamente ganhas nas urnas no concelho de Silves como um todo.(...)». Claro como água!
Para finalizar esta análise à composição redactorial deste último número da Voz de Silves, um comentário à preciosa carta de um leitor, "silvense atento e responsável", na rubrica Correio dos Leitores (2ª página). Depos de desenrolar todo um rol (quase só comparável ao do manisfesto de campanha PSD) de obras realizadas em Silves por esta gestão autárquica, nas quais inclui a Fábrica do Inglês (privado), o Palácio da Justiça (poder central, terreno cedido e ajardinamento exterior pela câmara), Biblioteca Municipal (investimento em grande parte alheio), Instituto Piaget (julgava que era privado?!), fala no Centro de Estudos Luso-Árabes (já não se diz assim, é politicamente incorrecto, é só ex-matadouro ou Fundação Al-Mutamide!!, amigo), desconhecendo a caricata situação que a câmara criou. É demasiado desconhecimento... Depois, nem de propósito, quem é que ataca? A Junta de Freguesia de Silves, atribuindo-lhe as responsabilidades que efectivamente não lhe cabem, a saber: a geral remodelação do espaço do antiquado (mas com valor arquitectónico, atenção) Mercado Municipal de Silves. Fique a saber esse senhor que há 6 anos que adormece nas gavetas camarárias um propósito de intenções de reabilitação deste espaço. Entretanto, nas freguesias com outra tonalidade partidária, lá vai a Câmara fazendo investimento, seja na melhoria (Messines, Armação), seja na construção (Alcantarilha). Curioso também é que, entre os vários programas à junta de freguesia de Silves, o único que faz menção ao mercado seja a CDU com Mário Godinho, e cito:«Diligenciar junto da Câmara Municipal de Silves para que seja feito no mais curto espaço de tempo a remodelação do mercado, nomeadamente, a melhoria das condições higieno-sanitárias.»
E fico por aqui.
Desde já disponibilizo este texto à Voz de Silves para que, se assim o entender, veremos, o insira na rubrica Correio dos Leitores, fazendo menção retrospectiva à carta referida (faço cópia e conhecimento dele, por mail, ao director-adjunto por desconhecer o do director).

6 comentários:

Anónimo disse...

deus queira que assim seja!

Luis Ricardo disse...

Caro Anónimo: Se Fátima Felgueiras ganha porque não haveria de ganhar a Rainha....

O Povo quer é circo......

Alice Sousa disse...

Voz de Silves panfleto ou jornal?
Em minha opinião nem uma coisa nem outra. Com o director que tem não merece credibilidade alguma. Há mais de uma década que este senhor escreve páginas evidenciando muitas falhas jornalísticas. São páginas que não compro. Lamento que a Câmara PSD tenha como Chefe de Gabinete de Imprensa este senhor. É também mais um motivo pelo qual "É preciso mudar isto!"

Anónimo disse...

luis ricardo pense um pouco... até insultos eu ouvi à saida da FISSUL que vergonhoso!

Luis Ricardo disse...

Caro Anónimo: Estamos de acordo...é vergonhoso. E quem esteve o debate todo a gozar e desdenhar as opiniões dos outros ??

Anónimo disse...

Opiniões? Sim, por vezes deram opiniões mas na maior parte do tempo estiveram sempre a fazer afirmações que eram e continuarão a ser mentira... desde quando é que a câmara deve alguam coisa a algum funcionário?
Tento na lingua meus senhores..