quinta-feira, outubro 06, 2005

Debate e rebate


Hoje foi dia de debate radiofónico autárquico. Muito público assistente, o que é bom, pena que não participe também nas assembleias municipais (incluo-me nesta crítica, muito embora as acompanhe indirectamente)! O debate acabou por ser razoável, embora pudesse ter sido bem melhor se a postura da candidata pelo PSD, actual Presidente da Câmara, tivesse tido mais elevação, qualidade e, sobretudo, respeito pelo espaço dos seus adversários de conversa. Foi um bom exemplo do perfil já conhecido de arrogância, autoritarismo, demagogia, até mentira. Pena que não tenha sido filmado, pois até no aspecto gestual esteve inqualificável.
Gostei da postura de Carlos Cabrita, candidato pelo BE. Sereno, inovador nalguns assuntos, utópico em outros. Mas convicto e sincero. Lisete Romão teve também alguns bons momentos. Naquilo que melhor conhece, a saúde. Não foi feliz quando puxou alguns dos "galões" em relação à obra do Instituto Piaget. Agora, muito bem (e outra coisa não esperariam vocês que eu dissesse, mas houve gente insuspeita que o reconheceu), foi Francisco Martins pela CDU. Seguro do que dizia, criticou de forma sustentada e civilizada a gestão camarária, mantendo inalterado um discurso claro, informado, propositivo.
Foi o grande vencedor da noite.
Nota final (fora de contexto): Estranhei vivamente que grande parte da avenida marginal estivesse às escuras e o ainda não terminado parque de estacionamento feericamente iluminado. Deslocou-se a luz de um para o outro sítio, precisamente na noite em que todos passariam ali para o debate. Querem tapar o sol com a peneira?

4 comentários:

Luis Ricardo disse...

A Fátima Felgueiras tem muito a aprender com a D. Isabel Soares I....

Anónimo disse...

Dor de coto allez.. PROMESSAS CUMPRIDAS é a realidade! ;)

manuel castelo ramos disse...

Mais um, ou será que é sempre o mesmo de serviço?, dos cobardes que não dão a cara!
Promessas cumpridas, "parcialmente e condicionadas"! Falta O museu da Arrochela (Polis), falta o percurso pedonal até ao Moínho Valentim (Polis), falta o Castelo (Polis), falta toda a requalificação do centro histórico (Polis), falta a 2ª fase do Parque de lazer do Rio Arade (Polis), falta o desassoreamento do Arade (obras anunciadas para Outubro!,enfim, podia continuar, só falta perguntar: o que é que não falta? Talvez parar o relógio do Polis...

Jose Maria disse...

Fui um dos indecisos que foi assistir ao debate na Fissul e fiquei abismado com a agressividade , arrogância e falta de educação da pessoa que tem estado á frente do nosso Concelho, é inadmissivel o seu comportamento e ao assistir pessoalmente ao debate e assistir ao que julgava ser mentira quando dela ouvia falar ,todas as minhas duvidas se dissiparam e para essa senhora é que não vai o meu voto. Ela e os seus meninos de coro desagradaram-me de tal modo que nunca mas nunca mais Isabel Soares.
Diz haver obra feita mal seria , 8 anos não são 8 dias. Na minha vida tambem muita coisa mudou e com pouco dinheiro,quanto mais na camara que recebe tanto dos nossos municipes.
O povo não é tolo e a abertura do parque é mais uma para enganar o zé povinho, esta pela calada da noite é uma vergonha ...........