domingo, abril 30, 2006

A devida homenagem

Fez-se hoje, 30 de Abril, véspera do 1º de Maio, Dia Internacional do Trabalho e dos Trabalhadores, uma primeira homenagem pública à figura do silvense José Rodrigues Vitoriano, recentemente falecido. Foi, seguramente, o silvense com maior currículo político do séc. XX, uma destacada figura da luta pela liberdade, o que lhe valeu sofrer da falta dela (17 anos nos cárceres salazaristas). Camponês, escolhedor de rolhas, presidente do sindicato nacional dos corticeiros em Silves, membro do Comité Central do PCP, deputado e vice-presidente da Assembleia da República, entre 1976 e 1987. Um longo percurso de vida, um "operário construído", como o apelidou Maria João Raminhos Duarte que lhe fez uma rigorosa e detalhada biografia histórico/política nesta sessão pública. Muito concorrida (cerca de 150 pessoas), é preciso dizer quando é tão frequente ver acontecimentos públicos "às moscas", por silvenses residentes ou emigrados e outros amigos, que neste dia fizeram questão de estar presentes. Falou ainda Margarida Tengarrinha, num registo mais emocional e pessoal, lembrando o velho amigo e camarada de partido. Apresentei eu, uma entrevista/filme que realizara com Vitoriano em 1999 quando instalava o Museu da Cortiça de Silves; Sandro William Junqueira, emocionou o público, com a sua interpretação do poema de Vinícius de Moraes, "O Operário em Construção", uma belíssima escolha; Carlos Vitoriano agradeceu, sensibilizado, a homenagem feita a seu pai. Mário Godinho, presidente da Junta de Freguesia, a entidade organizadora, fechou a sessão com a leitura de uma mensagem do senhor Governador Civil. Durante a cerimónia foi ainda lançada uma publicação sobre José Vitoriano, da autoria de Maria João Duarte.
Parabéns à Junta de Freguesia pelo apadrinhamento da iniciativa que, embora tenha sido proposta em sessão de Câmara ainda em vida de José Vitoriano para integrar as comemorações deste 25 de Abril, acabou por ser ignorada por este executivo. Que, fica o desabafo que ainda faltava, nem se fez representar na cerimónia!(leia-se Teodomiro Neto no Jornal do Algarve)
Esperemos que um dia, a autarquia se digne promover a memória deste homem (nome de rua, realização de um busto...) que muito honrou a memória e o carácter lutador e inconformado da classe corticeira e dos silvenses durante a longa ditadura.

2 comentários:

Francisco Martins disse...

Manuel, estás de parabéns. A Junta de Freguesia de Silves (Mário Godinho), também. A homenagem a José Vitoriano, inteiramente justa e merecida, foi um momento de enorme classe e elevada qualidade. O público aderiu em força. José Vitoriano foi um Homem de envergadura ímpar (na área política foi a maior figura do séc.XX em termos de concelho de Silves).

manuel castelo ramos disse...

Obrigado, Francisco, mas como sabes os parabéns são também extensivos à Margarida Tengarrinha e, sobretudo, à Maria João Duarte que não se poupou a esforços para conseguir ter a sua apresentação e publicação a horas deste evento. Quanto ao público, o mérito é do próprio José Vitoriano!...