domingo, dezembro 02, 2007

Uns escrevem, outros plagiam

Não gosto, aliás, detesto, quando sou plagiado. Já o fui inúmeras vezes. Até hoje, nunca usei das prerrogativas legais que protegem o autor, nestas situações. Não me deu para isso. Em alguns dos casos eram pessoas que nem de plágio tinham ouvido falar! Outros, com obrigação de o saberem, ignoraram simplesmente o trabalho alheio e dele se apropriaram. Basta consultar os textos do Plano Estratégico de Silves do Programa Polis, a página da Câmara Municipal de Silves dedicada à história do Concelho, e outros textos que por aí circulam na Internet para encontrar, ipsis verbis, grandes trechos por mim escritos e que outros por debaixo assinam. Cheguei ao cúmulo de receber de um aluno um trabalho, com supervisão paterna, sobre os monumentos da cidade, cujos textos eram meus. Enfim, já vi de tudo. Mas é diferente este caso. Por vir de quem vem.
Assim, e também sem aviso prévio, embora não fosse difícil fazê-lo (retribuo afinal na mesma moeda), fica aqui a crítica à Drª Gabriela Martins, que o devia saber. Como amiga, como bibliotecária, como pessoa de há muito ligada às coisas da cultura e do direito de autor, não compreendo como pôde usar o texto e as imagens de outrem, e nem sequer o nomear. Como disse, sem aviso prévio, fui surpreendido por texto do seu blogue (imagem que reproduzo acima) em que grande parte do que é escrito são palavras minhas (não referindo já a imagem por mim criada do outdoor), com alterações de pormenor a seu bel-prazer e que, inclusive, acabam por ser usadas para de modo indirecto me acusar (...com a ausência dos Vereadores Permanentes e de toda a Oposição...). Do quê? De não ter estado presente na tal reunião inconclusiva, na manifestação anacrónica e de sentido carácter fúnebre que foi promovida e politicamente manipulada, do princípio ao fim. Acusem-me de politicamente incorrecto, mas que fizeram os messinenses até agora e que estava ao seu alcance? Muito mais fizeram os de Vale de Fuzeiros contra a Alta Tensão e esta ainda está para vir, não o é ainda de facto, como estes cruzamentos de Messines!

Enfim, o protesto aqui é pelo plágio em si, pela surpresa do arbítrio, ademais de alguém que muito recentemente se indignava por aquilo que considerava uso indevido, aproveitamento político, porque alguém usou imagens captadas num espaço que coordena (Casa Museu João de Deus) para dar conta da abertura de uma exposição de pintura, e também da sua presença nela (...reafirmo que não gostei do uso abusivo das imagens da Casa Museu João de Deus , da inauguração da Exposição e de ter sido incluída no mesmo sem o meu prévio aval.Peço aos Autores deste blogue o favor de, no futuro, saberem respeitar o trabalho alheio)....

Faço minhas as palavras da, ainda minha amiga, Gabriela Martins.

Sem outros ressentimentos, falou a minha frontalidade, que quis hoje fazer pública.




13 comentários:

mãe de todas as guerras disse...

É assim, por vezes temos surpresas daqueles que consideramos amigos, e que mais blá-blá proclamam! Apropriam-se, indevidamente, daquilo que não lhes pertence... Não está só nesta situação, Sr. Vereador!

gabriela r martins disse...

este teu post exige.me algumas palavras prévias

1º - partes do pressuposto de que o blogue "Rio Arade" é meu, o que é um pressuposto que requer comprovação, porque nada te diz que eu sou a autora do referido blogue;
2º - que eu saiba, o autor do blogue é um certo "Diogo de Silves" que tanto posso ser eu como outra pessoa qualquer;

asim sendo e depois desta justificação prévia, passemos ao pressuposto de que o blogue "Rio Arade" possa ser meu...
não digo que sim nem que não, mas, meu caro AMIGO Manuel Ramos,

1º - jamais plagiaria quem quer que fosse e muito menos tu;
2º - felizmente, ainda não me falta engenho e arte para escrever textos, sejam eles quais forem;
3º - NÃO PLAGEEI;
a -faço referência às autorias implícitas ,QUANDO REMETO PARA OS TEUS DOIS BLOGUES.
NÃO REPARASTE NISSO, pois não? daí a tua tomada de atitude precipitada;
assim, BASTA CLICAR NAS FRASES ESCRITAS A AZUL MAIS CLARO, PARA ,DE IMEDIATO, O TEXTO DE DIOGO DE SILVES REMETER PARA OS BLOGUES "SACO DOS DESABAFOS" E "BLOGUE DO VEREADOR". Queres melhor referência? Queres melhor respeito pelas autorias? Se o autor do blogue - o Diogo de Silves - não fizesse essas referências, então sim, poderias invocar não respeito pelos direitos de autor ,mas isso não acontece, porque o autor do blogue "Rio Arade", ou seja, DIOGO DE SILVES respeitou e respeita os textos publicados nos dois blogues de que és autor. Deverias, antes de acusar e publicar seja o que for, teres tido o cuidado de verificar se o autor do blogue "Rio Arade" respeitou ou não as leis da blogosfera, ou seja ,se remeteu ou não o texto publicado no blogue "Rio Arade" para ... OS TEUS DOIS BLOGUES. fê.lo ou não?

explicado o segundo ponto, passemos ao terceiro - a conclusão precipitada que fizeste sobre uma acusação implícita ...
este ,aliás, é o teu grande mal, Manuel. é aqui que a porca torce o rabo, como se ousa dizer. e sabes porquê? porque quando te sentes atacado, mesmo que tal não aconteça, afinas e reages, disparando a torto e a direito. já o vi em outros contextos e com outras pessoas e nunca pensei que ,um dia ,precipitadamente ,eu também cairia no mesmo laço ... não é bonito, deixa.me que te diga!...
quando leio o que o Diogo de Silves escreveu, porque essa parte é de sua autoria e ele deixa.o bem claro, ao escrever em parágrafo diferente, demonstrando que esse texto nada tem a ver com o anterior .logo, as autoiras são diferentes e neste caso, como podes verificar ,não há qualquer link que reporte a outro blogue. logo, a autoria é de Diogo de Silves e ele assume.a, acho eu. e acho ,porque ele diz e muito bem ,que nenhum elemento da Oposição esteve presente. pergunto - estiveste presente ou não? as razões porque não estiveste ( partindo do pressuposto que agiste bem )foram concluídas à posteriori e se não estiveste ,o problema é teu, não do Diogo de Silves e muito menos meu.
é preciso que isto fique muito bem claro e, por favor, não mistures alhos com bugalhos.
não quero confusões nem quero ser acusada de algo que não cometi, mesmo admitindo ser eu o Diogo de Silves, facto que não digo nem que sim nem que não. esclarecido?

no que refere à amizade, sempre te considerei e considero meu amigo, mas isso não pressupõe que me silencie quando não concordo com uma tomada de posição tua ou de outra pessoa qualquer. sempre ,assim ,pautei a minha actuação e fá.lo.ei no futuro sem necessitar de plagiar A ,B ou C.

em conclusão
antes de acusar seja quem quer que seja ,Manuel ,cuida de verificar todos os pormenores ,porque podes estar a agir precipitadamente o que me parece ser o caso presente.
estamos entendidos?

mãe de todas as guerras disse...

É assim mesmo, Gabriela! Cantou-lhas muito bem cantadas! Estou de acordo consigo! Eu também já tinha ouvido dizer que ele tinha um mau feiotiozinho... Até já me disseram que, quando se lhe mete uma coisa na cabeça... cuidado com ele! (isto foi observação de um antigo aluno).
Como pessoalmente não tenho o prazer(?) de conhecê-lo, tento lá chegar através do "diz que se diz"...

Manuel Ramos disse...

À amiga Gabriela não respondo aqui. A conversa é nossa. Quanto ao outro, cujo pseudónimo diz tudo, não lhe dou lenha para a fogueira.
Só digo: de bons feitios está metade do Inferno cheio, a outra metade dos que "dizem que se disse".
E ainda, há quem diga, "quem não se sente não é filho de boa gente".

Anónimo disse...

Pensava que o Sr. não acreditava no Inferno (o que leva a pressupor que também acredita no Céu: porque existe sempre qualquer coisa e o seu oposto). Ou falava do de Dante?
Satisfaça-me a curiosidade: é ateu?

Manuel Ramos disse...

Acredito, mas no da Terra. O Céu é a Utopia.
Quanto ao ser ateu, prefiro considerar-me um agnóstico.

ramo de oliveira disse...

Como vê, venho numa de paz, fazer-lhe as seguintes perguntas: se o assunto é entre si e a sua amiga Gabriela, porque o trouxe a público? Se não lhe responde aqui, porque o pôs no blogue? Podia tê-lo tratado com ela, pessoalmente ou por e-mail.
Assim, tem que admitir a intromissão de outras pessoas, e deixe que lhe diga que "a mãe de todas as guerras" (embora me soe a um pouco de fundamentalismo), não deixa de ter as suas razões.

Al_muthamid disse...

Ehehehheh...quando se traz a publico um assunto e sobre o qual o visado reage, o autor fica sem resposta, o assunto passa a ser privado?
Teria talvez sido preferivel ter-se mantido sempre privado.
Talvez tivesse evitado certos comentários e, acima de tudo evitado a sua reacção.
Um bem haja.
Al_muthamid

Manuel Ramos disse...

Começo pelo fim: se quisesse evitar comentários nem os publicaria, já que este blogue tem comentários moderados. Quanto à questão inicial há uma diferença entre expressar uma indignação publicamente, face a ocorrências públicas, e tanger argumentos perante terceiros que do assunto, estou convicto, têm informação incompleta.
E sobre este assunto ponho ponto final, como aliás já o fiz com a pessoa em causa.

ramo de oliveira disse...

Al_Muthamid,

Para não o parafrasear e depois ser acusado de plágio:

Ahahahahahahahahahahahah!......

ramo de oliveira disse...

P.S.: a resposta até era a Al-Muthamid, porque é que isso o incomoda tanto?

Manuel Ramos disse...

Publiquei! Ficou satisfeita?! Em que é que este comentário acrescenta mais-valia à questão? Controvérsia, picardia, talvez. Os leitores avaliarão...
Por favor, se quer comentar, acrescente, não alimente fogos-fátuos! Não tenho receio dos vossos comentários, nem da livre expressão. Mas este, ou o Blogue do Vereador, não o quero à imagem de outros. Não se alimenta de tricas. Tem comentários, mas terão que ser construtivos, e quando o não são, nem acrescentam nada, como o seu, o moderador tem que fazer o seu papel. Não se trata de democracia ou censura, compreenda(m), trata-se de bom senso.
Vale a pena continuar com esta conversa?

ramo de oliveira disse...

Só pensa em mais-valias? Olhe que também estão sujeitas a impostos! E não é capaz de deixar um pouco o ar agressivo? Acho que um sorriso lhe ficava bem! E tanto bom senso estraga-o!
E não me pergunte se fiquei satisfeita, porque eu sou um ramo, não a oliveira. Faz favor de não confundir a parte com o todo!
Mas se eu vim em paz (sou o símbolo dela), porque implica tanto comigo? Já sei: não acrescentei mais-valia ao debate! Só sabe ser sério? Não é capaz de abrir uma excepçãozita e brincar um pouco?
Pronto, encerre lá o assunto que já não está cá mais quem abane ao vento...