segunda-feira, dezembro 04, 2006

Assassino à espreita


Fotos do leitor José Cabrita

Há mais de uma semana que este prédio na Rua de S.Sebastião, no Algoz, se encontra na situação que as imagens ilustram. À espera de cair. E não serão as fitas ali colocadas que prevenirão que uma tragédia aconteça. Por isso também o meu alerta público, que não ficará só por aqui. Esta rua não pode continuar aberta ao trânsito! Quem seriam os responsáveis, caso acontecesse o pior? Há algum tempo atrás uma situação semelhante, em Silves, não provocou uma mão cheia de mortos por uma pequena diferença horária.
Agradeço a denúncia e as foto enviadas por um nosso leitor.

2 comentários:

Joaquim Santos disse...

Srº Manuel Ramos
Afinal, eu tenho razão
Quando digo, que não há protecção de pessoas e bens por esse concelho.
Porque será que a protecção civil e o comandante dos bombeiros não tinha conhecimento desta situação, que o prédio estava sem segurança.
Chego a uma conclusão a protecção civil e demais entidades não previnem e nem tem conhecimento de muitas situações de perigo. O que anda esse senhores a fazer? Tenho medo de andar em Silves
O Srº Padre Ferro, alertou aqui a alguns anos as entidades que são responsáveis que a Sé estava em perigo. Passados alguns tempos caiu algumas tábuas do tecto. Como é uma igreja Deus providenciou que não atingisse ninguém. O jovem padre Carlos lá insistiu para fazer uma peritagem. E passadas algumas semanas, o corpo da Sé é fechado ao culto e a turistas, pois há risco de derrocada.
Pois é, houve um alerta, as entidades nada fizeram. E depois é as medidas drásticas.
Agora foi uma parte do reboco da Sé que caiu e atingiu um carro. Será que depois de atingir uma pessoa, vem a protecção civil por uma baias ? E fazer um comunicado que ninguém tinha reparado? Vamos ver….
Mas continuo a dizer que o planeamento de emergência em Silves esta errado. E quando acontecer algo de mais grave, só espero que não haja uma ” mão cheia de mortos por uma pequena diferença horária “
Joaquim Santos

Joaquim Santos disse...

Srº Manuel Ramos
Afinal, eu tenho razão
Quando digo, que não há protecção de pessoas e bens por esse concelho.
Porque será que a protecção civil e o comandante dos bombeiros não tinha conhecimento desta situação, que o prédio estava sem segurança.
Chego a uma conclusão a protecção civil e demais entidades não previnem e nem tem conhecimento de muitas situações de perigo. O que anda esse senhores a fazer? Tenho medo de andar em Silves
O Srº Padre Ferro, alertou aqui a alguns anos as entidades que são responsáveis que a Sé estava em perigo. Passados alguns tempos caiu algumas tábuas do tecto. Como é uma igreja Deus providenciou que não atingisse ninguém. O jovem padre Carlos lá insistiu para fazer uma peritagem. E passadas algumas semanas, o corpo da Sé é fechado ao culto e a turistas, pois há risco de derrocada.
Pois é, houve um alerta, as entidades nada fizeram. E depois é as medidas drásticas.
Agora foi uma parte do reboco da Sé que caiu e atingiu um carro. Será que depois de atingir uma pessoa, vem a protecção civil por uma baias ? E fazer um comunicado que ninguém tinha reparado? Vamos ver….
Mas continuo a dizer que o planeamento de emergência em Silves esta errado. E quando acontecer algo de mais grave, só espero que não haja uma ” mão cheia de mortos por uma pequena diferença horária “
Joaquim Santos