sábado, abril 12, 2008

Nada será como dantes!

© Manuel Alves
Muito se fez, muito se batalhou!
A luta dos moradores de Vale Fuzeiros contra o traçado da linha de muito alta tensão fez correr muita tinta, foi exemplo cívico da força da razão e desencadeou mesmo, atrevo-me a dizer, um novo paradigma no que a este assunto diz respeito. Nada será como dantes nos gabinetes da REN quando projectarem uma nova linha de alta tensão.

Mas também nada será como dantes na paisagem natural da nossa região: património paisagístico perdido é o que esta foto documenta.

Um abraço ao Manuel Alves, um dos sacrificados.


5 comentários:

Sancho de Bargança disse...

Caro Manuel,

Tem toda a razão! A REN, a partir de agora, tem de deixar a arrogância das servidões administrativas. Porque essa legitimidade vem dos administrados. E se eles não quiserem, os mandatários não podem asnear.

Saliento o importantíssimo papel que, consigo e a Câmara de Silves, a edilidade conquistou junto de um poder central arrogante e hegemónico, que ignora as razões de quem lhe provém a legitimidade.

Mais uma vez, parabéns a si, a Isabel Soares, em resumo, a todo o Município de Silves.

Aceite um forte abraço. E mantenha no activo!
Sancho de Bragança

Anónimo disse...

Meu caro homónimo, deve existir alguma confusão no seu espírito.

Sancho Pança

Sancho de Bragança disse...

Caro Pança,

A diferença está mesmo aí! Basta olhar para baixo! Vê?!?

Boa sorte, Caro Sancho.

Anónimo disse...

Caríssimo Sancho de Bragança,

Olhei e encontrei, fácilmente, algo "longo" e que vale a pena transcrever para satisfazer seu desejo e justificar a injustiça que é dar parabéns a quem teve culpas na situação criada.


"Blogue do Vereador
1.5.07
Afinal, sempre admitiu...
Isabel Soares primeiro esforçou-se por empurrar as responsabilidades para a REN da situação criada com o impróprio atravessamento da linha de Alta Tensão pelo concelho de Silves. Depois dos responsáveis da REN reunirem com o Executivo, com membros da Assembleia Municipal e dois dos presidentes de Junta de Freguesia do concelho alterou a sua posição. Na reunião da Assembleia Municipal, debaixo do fogo cerrado dos moradores e da Oposição, enveredou por empurrar as coisas para os técnicos, com quem tudo tinha sido tratado, disse. Mas perante a frágil situação defendida por Rogério Pinto, presente numa reunião em 13 de Julho de 2006 que antecedeu o período de audiência ao público do Estudo de Impacte Ambiental, na qual este não manifestou quaisquer reservas, nem deu devida importância e comunicação (provavelmente nem à Presidente), acabou por admitir o falhanço da actuação camarária. O que inevitavelmente fragiliza a posição da autarquia em quaisquer démarches que pretenda realizar agora para alterar a situação criada. Resta assim a determinação dos moradores e de quem com eles se solidarizar para continuar a luta e conduzir a solução do problema para quem a pode agora realmente solucionar: o governo.
Mas porque a incompetência sempre tem um preço e os responsáveis devem ser realmente nomeados, mesmo quando confessam os seus erros, aqui deixo mais uma vez a nota de imprensa da CDU/Silves e a notícia que dela fez o Região Sul on-line.
Escrito por Manuel Ramos às 00:13"  
Espero que tenha ficado satisfeito.

MANUEL RAMOS MERECE DE FACTO PARABÉNS PELO SEU BOM TRABALHO.

Queira aceitar meus cumprimentos.

Anónimo disse...

Caríssimo Sancho de Bragança,

Com todo o respeito que me merece a Casa de Bragança, o seu nome revela um certo “tique” de nobreza o que me leva a sugerir-lhe que faça seus elogios à realeza noutro sitio que não o Blogue
Vereador, porque este é um Blogue do Povo e para o Povo e que procura defender os seus interesses, os interesses de todos.

O Pança faz parte desse Povo e creio que Manuel Ramos também não o renega, face às suas honrosas origens.

Este Blogue, pelo trabalho que nele vem sendo desenvolvido deveria ser considerado de interesser público. Só é pena que ainda não chegue a toda a gente.

Seus elogios à actuação de Isabel Soares e do executivo que lidera melhor ficariam no Jornal do Regime.

Peço desculpa por não ter subscrito o comentário anterior.

Seu desdém para com o Pança, o POVO, leva-me a dar o assunto por encerrado.

Cumprimentos,
Sancho Pança